Viagem à Índia

De 25 de dezembro de 2017 à 17 de janeiro de 2018

Índia, o berço do Yoga e da Ayurveda, um país enigmático e cheio de contrastes. A mistura entre o velho e o novo, o encantamento das cidades exuberantes, cor, caos, aromas e a cordilheira dos Himalayas: uma fascinante cacofonia que se mantém viva na memória muito depois de voltarmos para casa. 

Se você está pronto pra despertar os sentidos, deixar sua imaginação ganhar vida como nunca antes e sua percepção do mundo mudar para sempre, esta é a sua jornada. 

Na companhia de Isabel Liberalquino e Sandra Kitner, juntas com grande experiência em viagens pela Índia, você fará um mergulho na cultura e espiritualidade desse sagrado país que tanto tem a nos ensinar. 

Roteiro detalhado:

De 25 de dezembro de 2017 à 17 de janeiro de 2018

Delhi - Dharamsala - Amritsar - Rishikesh - Agra - Varanasi -

Bodhgaya

 

25 de dezembro, terça-feira: Guarulhos/Delhi

Saída de Guarulhos com destino a Delhi (não existem vôos diretos). 

Pernoite a bordo. 

27 de dezembro, quarta-feira: Delhi/Dharamsala

Chegada no aeroporto de Delhi no dia 27 de dezembro e vôo para Dharamsala. Após o traslado e check in no hotel, teremos o restante do dia para descansar. 

No horário a combinar, faremos uma prática livre de meditação. (Opcional)

Pernoite no hotel.

Dharamsala: 

Sobre as montanhas de Himachal Pradesh, cercada por florestas de árvores coníferas, está Dharamsala, a cidade que abriga a casa do Dalai Lama e a sede do governo exilado tibetano.

Dharamsala é conhecida por sua vivacidade espiritual e serenidade. Ruas tranquilas, repletas de pequenos comércios de artigos budistas, bandeirinhas e rodas de oração, thangkas, incensos, estátuas, brincos, colares, japa-malas, com o charme e o exotismo do Tibete, misturam-se a centenas de monges, moradores locais, indianos e tibetanos que giram pela cidade.  

Ruas de asfalto ainda confundem-se às batidas de terra. Pela manhã, nos dias frios, a umidade do ar mescla-se com a névoa do vale do Kangra impondo um mistério ainda maior à região, que décadas atrás, ainda quando essas terras indianas estavam sob domínio britânico, serviam como destino turístico à população que procurava se refrescar do calor intenso do continente.

Dharamsala é dividida em  duas partes: a baixa onde estão as lojas, restaurantes, hotéis e cafés e, a alta, conhecida como Mcleod Ganj ou "Pequena Lhasa".

A tranquilidade de Dharamsala começa pela originalidade de seu próprio nome, em sânscrito, a junção das palavras dharma e shala, que significam juntas: "santuário do conhecimento, da sabedoria". 

                                 Dharamsala

                                 Dharamsala

28 de dezembro, quinta-feira: Dharamsala

Após o café da manhã, caminharemos pelo Mcleod Ganj, um pequeno vilarejo encravado no Himalaya indiano, residência da sua Santidade, o 14 Dalai Lama e lar de muitos tibetanos. É o centro administrativo do governo exilado tibetano e o centro de peregrinação budista. 

Tarde livre.

Pernoite no hotel. 

29 de dezembro, sexta-feira: Dharamsala

Dia livre para atividades independentes. 

No horário a combinar, faremos uma prática de Meditação. 

Pernoite no hotel. 

30 de dezembro, sábado: Dharamsala/Amristar (200 km - 6 horas)

Após o café da manhã, seguiremos de carro para Amritsar. 

Traslado para o hotel e check in. A noite visitaremos o fascinante Templo Dourado. 

Pernoite no hotel. 

Amritsar

Uma cidade localizada no estado de Punjab, bem próxima da fronteira ocidental entre Índia e Paquistão, Em Amritsar se encontra o mais imponente e sagrado santuário da religião sikh, o Golden Temple (Templo Dourado). 

Fundado em 1579 por Guru Ram Das, em homenagem ao Guru Nanak, o Templo Dourado é diferente de todos os outros, começando pelas quatro entradas principais que simbolizam a igualdade entre homens e mulheres, castas, religiões e crenças: todos podem prestar reverências, meditar ou orar juntos pela paz. É um verdadeiro convite para ultrapassarmos as barreiras das religiões e mergulharmos dentro de nós mesmos através das nossas almas peregrinas. 

Todos os dias são realizados inúmeros cantos, conhecidos como banis, e milhares de devotos se misturam lendo livros de oração, prostrando reverências ou praticando meditações. Em quase todas as portas existe uma laje de mármore branco que a maior parte dos peregrinos toca ou se inclina em sinal de profundo amor e respeito pelo Guru. 

                                                                    Golden Temple (Templo Dourado).

                                                                    Golden Temple (Templo Dourado).

31 de dezembro, domingo: Amritsar

Após o cafe da manhã, seguiremos para o Templo Dourado: uma nova oportunidade de peregrinação, reverências e orações  junto aos devotos de todas as partes do mundo.

Nesse dia visitaremos Jalian Wala Bagh, um monumento histórico de grande importância nacional que foi imortalizado após o massacre em abril de 1919, quando tropas britânicas entraram em confronto com cerca de 20 mil manifestantes desarmados. Visitaremos também o Durgian Mandir, uma versão hindu do Templo Dourado, construído no século 16 e dedicado à Deusa Durga.

No final da tarde seguiremos de carro até a fronteira entre Índia e Paquistão, há 40 km de Amritsar e testemunharemos a interessante cerimônia de fechamento da fronteira. 

A noite, celebraremos o ano novo num jantar especial no Hotel. 

Pernoite no hotel. 

01 de janeiro, segunda-feira: Amritsar

Depois de uma boa noite de sono, dia livre para atividades independentes. 

No final do dia, no horário a combinar, faremos uma prática livre de meditação pra quem quiser participar. 

Pernoite no hotel. 

02 de janeiro, terça-feira: Amritsar/Haridwar/Rishikesh

Bem cedo da manhã, viagem de trem (aproximadamente 8 horas) de Amritsar com destino a Haridwar. Em seguida partiremos de carro ou ônibus para Rishikesh (21 km - 60 minutos). 

Nesse dia teremos uma prática de yoga dando boas vindas à cidade do Yoga.

Rishikesh é uma pequena cidade que fica no estado de Uttaranachal, no norte da Índia. É considerada a “capital mundial do yoga” e a “morada dos sábios”. Ganhou mais notoriedade pelo Ocidente a partir da década de 1930, quando Gurudev Swami Sivananda fundou, à beira do Ganges, o ashram da Divine Life Society.

Até os anos 50 e 70, Rishikesh era um vilarejo pacato e bem pequeno, sem estradas e turismo, onde grandes sábios, homens santos, monges, estudantes e praticantes da espiritualidade hindu se refugiavam.

Até hoje Rishikesh sustenta sua beleza única à beira do Rio Ganges e prospera como o paraíso espiritual da Índia, visitada por yogis e peregrinos do mundo inteiro em busca do autoconhecimento.

Visitaremos ashrams, escolas de yoga, participaremos diariamente do Arati, o ritual do fogo, faremos pujas matinais guiados por Isabel e Sandra e práticas de yoga e meditação conduzidas por elas ou por professores locais. Pros aventureiros, é possível fazer um rafting pelas águas cristalinas do Ganges.

                                                                                        Rishikesh

                                                                                        Rishikesh

03 de janeiro, quarta-feira: Rishikesh

Depois do café da manhã, visitaremos os ashrams e a cidade Rishikesh. 

Aula particular de yoga (nosso grupo de viagem) com professor local. (opcional).

04 à 05 de janeiro, quinta e sexta-feira: Rishikesh

No horário a combinar, faremos nosso puja, meditações e práticas de Yoga (opcional). 

Aula particular de yoga (nosso grupo de viagem) com professor local. (opcional). 

Caminharemos pela cidade repleta de espiritualidade. 

06 de janeiro, sábado: Rishikesh/Haridwar/Delhi

Nosso dia começará bem cedo com destino a estação de trem em Haridwar. De lá, viajaremos de trem (4 a 5 horas) para Delhi, a capital da Índia. ,

Check in e descanso. Pernoite no hotel.

No dia seguinte partiremos para Agra. 

07 de janeiro, domingo: Delhi/Agra (210 km)

Pela manhã, de carro ou ônibus, seguiremos para Agra numa viagem de 4 horas e meia. 

Check in no hotel. 

Para mulheres: teremos uma sessão noturna de tatuagem de henna indiana nas mãos com uma artista local de rua. Também chamada de Mehendi, a henna é uma das muitas tradições que marcam os costumes religiosos na Índia. 

Agra foi a sede do império mongol nos séculos 16 e 17.  Os mongóis amavam a guerra, mas também cultivavam o gosto pelo belo. Entre seus legados estão dois Patrimônios da Humanidade que vamos conhecer: o imponente Taj Mahal e o Forte de Agra.

Uma das  7 maravilhas do mundo, construído com mármore branco e ornamentado com pedras preciosas, grandioso, o mais suntuoso mausoléu da Índia, o Taj é o símbolo do amor imensurável do imperador Mughal, Shah Jahan em memória à sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam, a quem chamava carinhosamente de Mumtaz Mahal. Acredita-se que o nome Taj Mahal deriva do nome de Mumtaz Mahal, que significa, "A joia do palácio". 

Já o Forte de Agra foi construído em 1080 por Hindu Sikarwar Raiputs. Todo em arenito vermelho e mármore branco, protegido por um fosso, era pra ser apenas um singelo forte de tijolos. Mas após as invasões mongóis, guerras e histórias, o Forte de Agra se tornou o mais importante forte indiano. Podemos dizer que, ele conta em forma de pedra, a história dos mongóis. 

                                                                                        Agra Fort

                                                                                        Agra Fort

08 de janeiro, segunda-feira: Agra

Após o café da manhã, visitaremos o Taj Mahal. Mais tarde, visita ao Forte de Agra.

Pernoite no hotel. 

                                                                                        Taj Mahal

                                                                                        Taj Mahal

09 de janeiro, terça-feira: Agra/Delhi/Varanasi

Seguiremos de carro para o aeroporto de Delhi (220 km - 5 horas) para embarque à Varanasi. 

Traslado para o hotel e descanso, Pernoite no hotel. 

Varanasi

Varanasi, ou “cidade de luz”, também conhecida como Kashi e Benares, está localizada no estado de Uttar Pradesh, na margem oeste do Ganges. É uma das cidades mais antigas do mundo, acredita-se que foi fundada por Shiva há 5.000 anos e é considerada pelos hindus a cidade mais importante. 

Em Varanasi reside a crença religiosa de que aqueles que morrem lá atingem a salvação; essa é a cidade que dá acesso à vida eterna.  

                                                                                        Varanasi

                                                                                        Varanasi

10 de janeiro, quarta-feira: Varanasi e Sarnath

De manhãzinha, antes do café da manhã, seguiremos para o rio Ganges no passeio de barco testemunhando as diferentes cerimônias que acontecem nos ghats: diversos rituais, além de banhos e cremações deixam o rio sagrado movimentado desde as primeiras horas do dia.

Após o café da manhã, passeio por Varanasi e visita aos dois templos mais sagrados da cidade: Templo de Durga, mais conhecido como Templo do Macaco, devido à quantidade de macacos que vivem ali e o Templo Vishwanath (ou Vesheshwar - Senhor do Universo). O passeio segue para Bharat Mata ou Templo da Mãe Índia. Teremos a oportunidade de caminhar nas vielas estreitas preservadas há centenas de anos,

À tarde visitaremos Sarnath (10km do centro da cidade) - um dos locais que simbolizam o nascimento do budismo. Aqui, Buda revelou parte de sua doutrina e formou as primeiras sanghas (comunidades).  O museu em Sarnath é um dos mais importantes da Índia e contém relíquias que abrangem diferentes estilos, do século 3 a.C à 12.

A noite, Arati (ritual do fogo) no Ganges (opcional). 

11 de janeiro, quinta-feira: Varanasi/Bodhgaya de carro (240 km - 6/7 horas)

Após o café da manhã seguiremos de carro para Bodhgaya. 

Traslado para o hotel, check in e restante do dia livre. Pernoite no hotel. 

Bodhgaya

Há mais de 2500 anos, quando o mundo ainda era outro mundo e o sofrimento da humanidade ainda era o mesmo, um homem sentou por 49 dias e 49 noites sob a copa de uma esplendorosa árvore, a tomou de companhia e meditou sobre a própria mente. Quando abriu os olhos, compreendeu que o sofrimento da humanidade tem origem, causa, meio e fim. Chamaram esse ser de Buda, a árvore de Árvore Bodhi e a cidade onde tudo aconteceu de Bodhgaya.

Mas os cânticos épicos antigos que atravessaram as pontes do tempo, contam que em uma era já imemorial, quando os deuses ainda andavam por essas terras, Rama, Sita e Lakshmana estiveram por ali. Gaya era Gayaputri.  É assim que está no Ramayana e no Mahabharata.

Bodhgaya tornou-se um poderoso centro de peregrinação. Lá foi construída uma pirâmide e uma estupa, que tornaram-se um templo chamado Mahabodhi. Dia após dia, noite após noite, milhares de pessoas apontam seus corações e mentes para essa parte do mundo, celebrando, cantando e meditando sobre a felicidade.

Bodhgaya tem cheiro de espiritualidade. Além do complexo de Mahabodhi, a cidade comporta dezenas de outros templos de diferentes tradições budistas, seguindo suas próprias arquiteturas e nacionalidades. Lá encontram-se monastérios do Sri Lanka, Japão, Tailândia, China, entre outros.

Nessa região ainda há uma caverna onde conta-se que Buda meditou e outros caminhos que serpenteiam vilarejos e campos de mostarda por onde ele caminhou.   

                                                                               Bodhgaya

                                                                               Bodhgaya

12 de janeiro, sexta-feira: Bodhgaya

Após o café da manhã, visita ao Templo Mahabodhi, o local onde existiu a original árvore Bodhi, onde Buda atingiu a iluminação. Monastérios e templos construídos por comunidades budistas internacionais foram erguidos nas vizinhanças desse lugar, proporcionando aos peregrinos espaços para estudo, meditação e imersão nesse sagrado ambiente.  

Teremos a oportunidade de meditar sob a copa da árvore em que Buda atingiu a iluminação.

Pernoite no hotel. 

13 de janeiro, sábado: Bodhgaya

Transporte à disposição para 08 horas dentro dos limites da cidade.

Pernoite no hotel. 

14 de janeiro, domingo: Bodhgaya/Delhi

Após o café da manhã e organização das malas, partiremos para o aeroporto de Bodhgaya com destino a Delhi. 

Traslado para o hotel e check in. Pernoite no hotel. 

Nova Delhi, a capital e terceira maior cidade da Índia, é uma fusão entre o antigo e o moderno: rica em cultura, arquitetura, diversidade humana, monumentos, museus, galerias, jardins, caos, cores e aromas. Delhi é composta por duas partes contrastantes e harmoniosas, a Velha e a Nova Delhi. Essa cidade é um grande centro de viagens do norte da Índia.

                                                      Delhi

                                                      Delhi

15 de janeiro, segunda-feira: Delhi

Após o café da manhã, passeio pela Velha Delhi. Visitaremos o Forte Vermelho e a maior mesquita da Índia, Jama Masjid. À tarde, será a vez de conhecer a Nova Delhi, a parte mais nova e organizada da cidade: passaremos pela região onde estão localizados o Índia Gate (memorial aos soldados indianos que morreram na 1ª Guerra Mundial), a residência do Presidente, o Parlamento e os edifícios das secretarias de governo e pararemos para visitar Qutub Minar, um complexo de ruínas que data do século XII, a tumba de Humayun, que tem estrutura arquitetónica similar ao Taj Mahal, e o templo hinduísta Lakshmi Narayan, onde veremos a representação de vários deuses do panteão hindu.

16 de janeiro, terça-feira: Delhi

Dia livre. 

17 de janeiro, quarta-feira: Delhi/Brasil. 

Transfer para o aeroporto e embarque para o Brasil.

Fim dos nossos serviços. 

Condições da Viagem:


23 dias na Índia — de 25 de Dezembro de 2017 à 17 de Janeiro de 2018

 Atenção: os valores são válidos para um grupo de no mínimo 10 passageiros.

 

Parte Terrestre Índia: 

Nosso grupo já está fechado. Caso queira novas informações sobre uma próxima viagem, entre em contato. 

Os valores da parte terrestre incluem:

- Hospedagem em quarto duplo nos hotéis 4 e 5 estrelas mencionados abaixo;

- Café da manhã em todos os hotéis;

- Traslados e passeios em carros privativos (ou ônibus privativo) de acordo com o programa;

- Passagens aéreas para voos internos na Índia;

- Bilhetes de trem para as passagens internas na Índia;

- Assistência no embarque e desembarque nos aeroportos e check-in nos hotéis;

- Passeio de barco pelo Rio Ganges em Varanasi para ver o nascer do Sol;

- Todas as entradas nos locais de visitação que estão mencionados no roteiro;

- Guia em espanhol em Delhi, Agra e Varanasi. Guia em inglês nas demais cidades mencionadas no roteiro. 

- Jantar especial de ano novo;

- 2 horas de aula particular de yoga com professor indiano;

* Caso queira ficar em quarto individual, entre em contato.

 

O que não está incluído:

- Despesas com passaportes e vistos consulares;

- Seguro viagem;

- Taxas de embarque e governamentais;

- Excesso de bagagem;

- Alimentação (exceto quando mencionada no roteiro);

- Entradas em locais não sugeridos no roteiro;

-  Extra de caráter pessoal (telefonemas, bebidas, lavanderia);

- Gorjetas para carregadores, motoristas, assistentes;

- Maleteiros (nos aeroportos e traslados);

- O que não estiver especificado como incluído. 

Lembrando que é necessário tomar vacina de febre amarela para entrar no país. 

 

Dados da Parte Aérea:

Nosso grupo já está fechado. Caso queira novas informações sobre uma próxima viagem, entre em contato. 

 

Lista de Hotéis:

Dharamsala: The Pride Suryahttp://www.pridehotel.com/dharamshala/pride-hotel-dharamshala/overview/

Amritsar: Holiday Innhttp://holidayinn.hotelsgroup.in/holiday-inn-amritsar.html (a confirmar)

Rishikesh: (a confirmar)

Delhi: The Met - www.hotelmetdelhi.com

Agra: Double Tree By Hilton http://doubletree3.hilton.com/en/hotels/india/doubletree-by-hilton-hotel-agra-AGRDTDI/index.html?WT.mc_id=zELWAKN0APAC1DT2DMH3LocalSearch4DGGenericx6AGRDTDI

Varanasi: Radisson - https://www.radisson.com/varanasi-hotel-up-221002/indvaran

Bodhgaya: Imperial - www.hoteltheimperial.com/bodhgaya

 

Entre em contato para tirar dúvidas sobre o roteiro, formas de pagamentos e prazos.

Os valores da parte aérea e reservas de hotéis estão sujeitos a pequenas alterações.

Será mantida a qualidade das hospedagens em hotéis de 4 a 5 estrelas.